2016. Maio 12.
Voltar

Visita de Szentendre

A visita a Szentendre é um passeio romântico, para todos aqueles que desejam ficar longe do ruído e confusão das cidades grandes, mas também interessante para aqueles que gostam de descobrir e conhecer a cidade dos artistas.

As ruelas desordenadas, estreitas, as escadarias apertadas proporcionam um ambiente muito especial à cidade. A maior especificidade da cidade encontra-se na sua característica única,
multicolor.  A cidade de Santo Andrés situa-se a 20 kms de distância a Budapeste e esta designada por cidade barroca ou "cidade dos artistas". Entramos a uma Igreja Ortodoxa e visitamos o museu de Ceramista Margarita Kovács. Depois da visita do museo tomamos um cafe e pastel numa das cafeteiras mais representativas da cidade. No tempo livre entre outras actividades, poderão fazer compras nas lojas de artesanato.

André I. colonizou a cidade com alguns frades gregos, depois o numero de habitantes aumentou com a chegada dos sérvios e dálmatas, fugidos das ocupações otomanos.
Nas ruelas desta cidade encontramos principalmente casas, edifícios de estilo barroco, construidos no século XVIII. Nota-se também de forma vincada, o importante papel e presença da igreja ortodoxa, na forma de cultivo das vinhas, o modo de trabalho e os trabalhos produzidos pelos artesãos e nas instituições comerciais e culturais.

Szentendre uma cidade pequena com seu próprio charme e beleza, com seu centro histórico em estilo barroco, situa-se a 20 km de Budapeste, na margem do Danúbio.
A cidade foi fundada no século XIV. Depois os turcos ocuparam Sérvia em 1389, mais tarde até aos finais do século XVIII ocuparam as Balcãs, muitas famílias de sérvios, dálmatas e gregos fugiram para Hungria.

Um pequeno grupo de refugiados foi viver para Szentendre, com autorização especial do rei. Podiam praticar a sua fé ortodoxa e até construir as suas próprias igrejas. A cidade ainda hoje guarda as suas tradições ortodoxas, devido à população servia que ainda hoje nela permanece. A cidade é conhecida também como um “centro das artes”. Os visitantes podem admirar as obras de arte dos membros de Centro de arte de Szentendre, vários museus e galerias.

Vale a pena sublinhar a presença da exposição de uma artista, falecida em 1977, Margit Kovács, escultora e ceramista, uma das revolucionárias do movimento de ceramistas e cerâmica moderna no país. A vida cultural da cidade esta mais colorida com a presença de inúmeros cafés, restaurantes e as especialidades gastronómicas que aí se confeccionam. Pode incluir-se neste programa, a visita ao Museu da Aldeia, que se encontra ao ar livre (Skanzen).

Pedir orçamento