2020. Julho 10.
Voltar

Visita Clássica de Budapeste em 4 horas em português

Durante este passeio privado com a ajuda de guia de turismo descobriremos os pontos mais interesantes de Budapeste em português. Ao longo da visita vamos a usar um carro/van, para facilitar a locomoção entre os monumentos visitados, onde sempre vamos a parar para tirar fotografias. A duração da visita vai depender de Você, porém normalmente recomendo calcular com mínimo de 4 horas. Essa visita lhe recomendo, caso Você vai ficar pouco tempo em Budapeste e deseja ver os pontos mais importantes do lado Peste e Buda no mesmo dia. A visita é privada, a partir do primer momento até o ultimo, Você estará acompanhado com guia de turismo de Budapeste que fala português fluente. Caso Vc deseja realizar visitas interiores, com a ajuda da licencia de guia de turismo oficial de Budapeste, entrará em todos os lugares sem pegar filas na entrada.

Começamos no lado Peste com a Praça dos Herois de Budapeste, na praça que tem dentro do seu espaço alguns monumentos, sendo que no seu centro se ergue o “Monumento Milénio”, o qual representa e foi erguido para comemorar os 1000 anos de soberania do Estado Húngaro. Encontramos ainda na Praça dos Heróis, estátuas representativas das principais personagens da história da constituição do Estado Húngaro.

     

Em breve chegamos ao põe do Castelo de Vajdahunyad de Budapeste, onde se podem ver 21 edifícios, que pretendem retratar 21 dos principais edifícios e monumentos existentes na Hungria a quando das festividades do 1º milénio do Estado Húngaro. Assim sendo, estas “miniaturas”, réplicas do principal património do país, foram erguidas no ano de 1896, para a exposição comemorativa dos 1000 anos da constituição do Estado Húngaro.

Depois seguimos pela Avenida Andrassy, considerada uma das avenidas mais bonitas de Budapeste, esta é uma avenida ladeada de edifícios e palácios de estilos, ecléticos, neo-renascentistas. Desde 2002 que esta Avenida é considerada Património Mundial pela UNESCO. A sua construção iniciou-se em 1872 e terminou, abrindo finalmente à circulação em 1876. Na mesma avenida vamos a admirar ás fachadas ricamente articuladas e espectaculares da Ópera Nacional da Hungría, onde encontra-se uma decoração com inúmeras e várias pequenas varandas, estátuas e colunas.

Passamos pela Basílica Santo Estêvão, a maior igreja de Budapeste, a sua construção remota aos anos de 1851-1905. Construida no estilo renascentista italiano, em 1931 recebeu o titulo Basílica Menor. À continuação, chegamos á praça do Parlamento, O maior, mais conhecido, monumental, edifício, principal símbolo da cidade de Budapeste. Foi construido segundo os planos de Imre Steindl, entre 1885-1904.  Apresenta semelhanças com o parlamento de Londres, fazendo-nos lembrar o mesmo quando o olhamos. Os seus traços e construção possuem características neo-gótico eclético.  As suas salas douradas, cobertas de pedra mármore são palco digno de recepções oficiais e para as festas. Chegando perto da Academia das Ciências de Budapeste, ficamos perto da Ponte das Correntes Széchenyi, a primeira ponte  construida sobre o rio Danúbio em BudapesteA sua construção foi concluída em 1849, com o seu estilo classicista, é um dos símbolos mais conhecidos de Budapeste.

      

Subimos ao Barrio do Castelo de Buda. O castelo situa-se, por cima da margem do rio Danúbio, a uns 50-60 metros nas colinas de Buda, proporcionando uma vista imponente e das mais bonitas da Europa. Esta paisagem é desde 1987 considerada Património Mundial pela UNESCO. O castelo, também conhecido como “bairro do castelo”,  é povoado deste do século XIII. Tendo sido a idade dourada deste no século XV, como residência da família real. Durante a ocupação turca  a imagem do bairro foi alterada, sendo constituída e utilizada como uma cidade turca. Depois no século XVII foi novamente alterado e reconstruido com e em estilo barroco. No bairro encontram-se se vários edifícios históricos e monumentos de grande beleza e importância de Budapeste, como por exemplo, a Igreja Matias, o Bastião dos Pescadores e a  Galeria Nacional. 

Chegamos até a Citadella, na fortaleza que fica no topo de um platô conhecido como Colina Gellért, em homenagem ao missionário que trouxe o Cristianismo para essa região. Com 235 metros de altura, a Colina Gellért é um dos lugares mais altos de Budapeste. A fortaleza foi construída em 1854, como defesa durante a Monarquia de Habsburgo. Cerca de 100 anos depois, os russos a ocuparam durante a Revolução Húngara de 1956.  A Estátua da Liberdade (Szabadság-szobor) ou Memorial da Liberdade ocupa uma posição de destaque na Colina Gellért, no centro de Budapeste, do lado oeste do Rio Danúbio. Vá até lá quando você visitar a Cidadela, a enorme fortaleza ocupada primeiro pelos Habsburgos e, posteriormente, pelos soviéticos. Após a Segunda Guerra Mundial, o povo da Hungria ficou agradecido pelo apoio dos soviéticos durante a guerra, ajudando-os a se libertar da ocupação da Alemanha nazista. Eles ergueram essa estátua para homenagear seus salvadores. A estátua de 14 metros é feita de bronze e fica sobre um pedestal que tem aproximadamente duas vezes o tamanho da estátua. A figura segura uma grande folha de palmeira suspensa. A inscrição original foi traduzida como: "À memória dos heróis soviéticos libertadores [erguida pelo] povo húngaro agradecido [em] 1945."  Fique aos pés das três estátuas para imaginar a sensação dos cidadãos de Budapeste há várias gerações.  

Voltamos outra vez ao lado Peste e atravesando na Ponte de Sissi terminamos a visita no centro de Budapeste, ao pé do Mercado Central de Budapeste.
 

Pedir orçamento