2020. Julho 10.
Voltar

Passeio pela historia Comunista de Budapeste em português

Visita privada com guia de turismo de Budapeste em português na Parque das Estátuas e na Casa do Terror. Visitas interiores dos lugares relacionados com os regimes dictatorios fascista e comunista de Hungría no século XX.

Dirigimos ate o Szoborpark ou parque das estátuas, trata-se de um museu a céu aberto sob a forma de um parque temático europeu alusivo ao Comunismo. A ideia foi concebido pelo arquiteto húngaro Ákos Előd, que o projetou através de um concurso lançado pela administração da cidade na época, e assim sucessivamente aberto ao publico em 29 de junho de 1993 inaugurado e oficialmente no segundo aniversário da retirada dos exércitos russos do território húngaro.Localizado nos arredores de Budapeste, o parque conserva estátuas monumentais do período soviético. 

Entre as obras expostas encontram-se estátuas de Lenine, Karl Marx e Friedrich Engels, assim como de líderes comunistas húngaros e de outras nacionalidades (Béla Kun e Georgi Dimitrov). Em exposição, encontram-se no total 42 peças de arte recolhidas das ruas de Budapeste, e algumas delas são gigantescas. No interior, os bustos e estátuas de Lenine, Marx e Engels, e Soldado com a bandeira, a queda de um soldado, entre outras relíquias aqui preservadas e datadas do período comunista na Hungria. Terminando a visita oportunidade para conhecer a Casa de Terror.

A Casa do Terror (em húngaro “Terror Háza”) é um museo localizado no numero 60 da Avenida Andrássy em Budapeste. Contêm exposições relacionados com os regimes dictatorios fascista e comunista de Hungría no século XX e é também um lugar de comemoração dedicada pelas víctimas dessa época. O museo abrió suas portas em 24 de Fevereiro de 2002, a directora desde esta época é Maria Schmidt. O estabelecimento do museo foi feito no ano 2000, cuando fizeram uma renovação completa do predio por dentro e por fora. Os desenhadores foram húngaros, Sr János Sándor e Sr Kálmán Újszászy. O desenho interior, a fachada principal e o aspecto final das salas de exposições foi feito pelo arquiteto húngaro Attila F. Kovács. 

Os exposições tratam sobreás relações do país com a Alemanha nazi e da União Soviética. Também contem materias com relação das organizações fascistas e comunistas do país, como o Partido da Cruz Flechada - similar ao Partido Nazi alemão - ou o ÀVH - parecida da KBG soviética. È possível visitar também os sótanos do edificio e ver os exemplos das celdas os que foram usados do ÀVH, para romper a voluntad dos presos. Os informações nas salas estão escritos em húngaro, mas nas salas sempre têm textos em inglés também. Está prohibido fazer fotos ou grabar video dentro do edificio.

Pedir orçamento